O Mosquito

 

Aedes aegypti: o mosquito da Dengue, do Zika Vírus, do Chikungunya vírus e da febre amarela 

O mosquito Aedes aegypti foi identificado pela primeira vez no Egito5. Ele é transmissor de doenças graves, como a dengue, o Zika Vírus, a Chikungunya e a febre amarela1.

Para contrair o vírus da dengue, o mosquito precisa picar uma pessoa que foi infectada há pelo menos quatro dias2. A partir daí, entre oito e 12 dias depois o inseto já passa a ser um transmissor da doença2.

Somente o mosquito fêmea é que pica, pois precisa de sangue para amadurecer os ovos, ao passo que o macho necessita apenas de frutas e outros vegetais adocicados para sobreviver1,6.

Outro alerta importante é que a fêmea é mais ativa no início da manhã e no fim da tarde, no entanto, a fêmea também pode se alimentar durante a noite4,6. Seus alvos preferenciais são os pés, os tornozelos e as pernas, já que ela costuma voar a uma altura máxima de meio metro do chão4. Porém, isso não significa que braços e pescoço, por exemplo, estejam a salvo. Melhor se proteger por inteiro.

 

Proliferação

Você sabia que uma única cópula com o mosquito macho é suficiente para a fêmea do Aedes aegypti produzir cerca de 1500 ovos durante toda sua vida6?

É neste momento que começa a busca por sangue humano para maturar os ovos6. No verão e na temporada de chuva, a atenção com o mosquito deve ser redobrada, pois as larvas gostam de calor e o inseto precisa de água parada, seja ela limpa ou pouco poluída, para colocar seus ovos6.

Mas, ao contrário do que muita gente imagina, os ovos não ficam boiando. Por isso é que, além de eliminar o líquido, é importante lavar as paredes do recipiente com uma bucha6.

O desenvolvimento completo do embrião acontece em cerca de 48 horas6. Se nesse período o ambiente ficar seco, os ovos conseguem resistir por longos períodos e eclodem assim que voltarem a ter contato com a umidade2,6. Esta resistência é que permite aos ovos serem transportados por longas distâncias, de avião ou navio, por exemplo, aumentando, assim, a proliferação e a dispersão do Aedes aegypti até mesmo em áreas não endêmicas6.

 

Verão: Por que os cuidados com o mosquito Aedes aegypti devem ser dobrados?

Em condições ambientais favoráveis, como no verão, quando as temperaturas são altas, aliado às chuvas mais constantes e a água parada, o processo da larva até a fase adulta do mosquito demora dez dias6. É por esta razão que a eliminação de criadouros deve acontecer pelo menos uma vez por semana6